ÁREA DO CLIENTE

Esqueceu sua senha?

Notícias

Limpeza condominial: 5 áreas geralmente esquecidas

Um dos grandes desafios do síndico é cuidar da limpeza do condomínio. Como todo ambiente com grande circulação de pessoas, é bastante normal o acúmulo diário de sujeira.

Por isso, é imprescindível que haja cuidado e um cronograma bem montado para a limpeza condominial, principalmente para não deixar de fora aquelas áreas que, por pouco uso ou difícil acesso, são geralmente esquecidas.

Por ser um ambiente bastante amplo, envolvendo vários espaços, como andares, corredores, elevadores, o condomínio pode ter algumas áreas que por pouca visibilidade correm o risco de ficar de fora do cronograma de limpeza. Mas isso não pode ocorrer.

Veja, portanto, o que não pode ficar de fora na hora da limpeza!

Limpeza Condominial: 5 áreas geralmente esquecidas

1. Lustres e luminárias:

Quando o pé direito do hall de entrada do edifício é muito alto, costuma ser difícil alcançar o lustre ou luminárias para fazer a limpeza.

Para isso é necessário a contratação de pessoal e equipamento especializado, evitando o risco de acidentes.

2. Caixa de gordura:

A caixa de gordura pode estar em um canto, escondida, ou bem fechada no subsolo e em local afastado. Mas ela precisa ser limpa periodicamente. O acúmulo de sujeira na caixa de gordura provoca vazamentos, proliferação de insetos e ainda pode gerar mau cheiro.

3. Bicicletário:

Nos prédios que dispõe de bicicletário, é preciso muito cuidado para que não vire depósito. Estabelecer regras de utilização, mantê-lo trancado e programar uma limpeza semanal são medidas que manterão a ordem no bicicletário.

4. Casa de máquinas ou força:

A casa de máquinas ou força é um local delicado para limpar, por conter equipamentos e fios elétricos de alta voltagem. Mas é um espaço que também requer limpeza periódica e especializada, pois o acúmulo de poeira pode danificar o funcionamento dos equipamentos.

5. Garagem:

Algumas vezes, a garagem fica em segundo plano, principalmente quando existe a possibilidade dos moradores guardarem objetos ou manter armários nesta área. A conservação e manutenção da garagem merecem bastante atenção. Pisos rachados, pintura descascada ou mesmo infiltração, além de denegrir a imagem do condomínio, podem trazer danos aos moradores.

Cronograma de limpeza do condomínio

Com tantas áreas que merecem cuidados, como manter tudo limpo e organizado? A resposta é simples: Siga um cronograma de limpeza.

Se em nossa casa precisamos manter um cronograma de limpeza, imagine em um condomínio! Para isso é necessário avaliar quais são os procedimentos que devem ser realizados todos os dias, quais os que podem ter uma certa periodicidade e o melhor horário para realização da limpeza. Veja alguns exemplos:

Limpeza diária:

Hall de entrada, corredores, elevadores, depósito de lixo, banheiros de uso comum e áreas de grande circulação merecem limpeza diária, bem como a retirada do lixo.

Para estas tarefas, o ideal é programar um horário que não atrapalhe a rotina dos moradores e nem dificulte o trabalho do zelador. Meio da manhã ou tarde podem ser horários ideais.

Limpeza semanal:

Lavagem das calçadas, limpeza dos vidros, luminárias, móveis da recepção e portaria, beirais, rodapés e quadros merecem limpeza pelo menos uma vez por semana. Isso para que se mantenham em condições de uso e não caracterizem desleixo no condomínio.

Limpeza quinzenal:

O jardim, floreiras e outros ambientes que não têm grande acesso ou circulação podem passar por manutenção a cada quinze dias.

Para as limpezas mais pesadas e aquelas que normalmente são esquecidas, deve ser avaliada a periodicidade necessária. Algumas precisam de manutenção mensal, outras semestral e há até algumas que podem ser anuais, como pintura, restauração de fachada, etc.

O importante é que o síndico avalie as necessidades específicas do condomínio e crie um cronograma que envolva todas as áreas, sem esquecer nenhuma, garantindo a perfeita limpeza e manutenção.

Este post é um oferecimento da equipe da Fibersals Impermeabilização.
Para mais dicas de como administrar fazer a gestão de condomínios, veja nossos outros artigos!

Fonte: Universo Condomínio