ÁREA DO CLIENTE

Esqueceu sua senha?

Notícias

Quero reformar o apartamento, por onde começar?

“Para começar, defina bem o que pretende. Dedique tempo a pesquisar referências e vá arquivando aquilo que gosta”, orienta a arquiteta Vanessa Yamamoto

A ideia de fazer uma reforma quase sempre vem cercada de muitas dúvidas: por onde começar, tempo de duração, quanto vai custar, contratação de mão de obra, escolha de materiais e por aí vai.
E a experiência de profissionais e de quem já passou por esse processo mostra que planejar muito bem é o primeiro passo e o mais fundamental para que tudo dê certo.

A arquiteta da construtora Vanguard Home em Londrina, Vanessa Yamamoto, esclarece pontos importantes no caso das reformas em apartamentos. “Para começar, defina bem o que pretende. Dedique tempo a pesquisar referências e vá arquivando aquilo que gosta”, orienta. E isso vale tanto para quem quer fazer uma reforma mais robusta, tanto para dar novos ares à decoração.

Depois é a hora de organizar as ideias, compilar. “De tudo o que foi pesquisado, selecione o que serve para você, o que vai ser funcional no dia a dia da rotina da casa. Com a definição clara do que se pretende fazer, fica bem mais fácil planejar o andamento.”

Algumas informações são bem importantes nesse processo de reforma. Aí entra o conhecimento das regras do condomínio. A sugestão é primeiramente entrar em contato com o síndico e levantar a documentação que será necessária – que pode variar caso a caso, mas costuma incluir a entrega de um plano de reforma – bem como as orientações sobre horários permitidos para obras (alguns condomínios não permitem barulho na hora do almoço, por exemplo), regras sobre circulação de pessoas e materiais e outras.

A arquiteta lembra da norma reguladora NBR 16280, de 2014, que estabelece a apresentação ao síndico de memorial descritivo, projetos, referências técnicas, assinado pelo responsável técnico com emissão de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica). “O indicado é sempre contar com a assessoria de um arquiteto, que vai ser um facilitador de todo o processo”, reforça Yamamoto.

MÃOS À OBRA
Definido exatamente o que se vai fazer, é hora de contratar mão de obra e comprar materiais necessários. Busque referências sobre os profissionais que pretende contratar com amigos, vizinhos, parentes e deixe muito claro em contrato o serviço a ser feito e quanto vai custar. Yamamoto indica a contratação por empreita, ou seja, um preço fechado pelo serviço entregue. “Não costumo recomendar o pagamento por diárias. Se ocorre um imprevisto – como atraso na entrega de material – a diária terá que ser paga e o serviço vai ficar parado”, alerta.

Agora, independentemente do modelo de contratação, tenha em mente que será necessário um acompanhamento muito próximo dos serviços que serão executados, no que diz respeito à qualidade, adequação ao projeto e ao que foi contratado.

Outra dica é dedicar tempo à pesquisa dos materiais e preços e ir até as lojas para ver amostras físicas dos produtos. Pesquise também referências sobre as marcas que está comprando. Há uma variação grande de produtos e preços em função da qualidade.

ESTEJA NO CONTROLE
Para uma boa gestão da obra, elabore um cronograma com seus fornecedores, casando a entrega de materiais e a disponibilidade dos profissionais contratados que vão realizar o serviço. Considere sempre um pequeno extra nos prazos, pois atrasos costumam ocorrer. Evite ter muitos fornecedores trabalhando ao mesmo tempo, já que um pode atrapalhar o outro.

Se for uma obra de maior porte, libere quanto mais espaço puder. Se for preciso quebrar, é por aí que se começa. Em seguida vem a parte de infraestrutura – parte elétrica por exemplo – e depois o fechamento. “Caso vá mudar o piso, faça teto e parede primeiro. Sempre guarde a última demão da pintura para o final, já depois da marcenaria e das luminárias instaladas”, instrui Yamamoto. Se não for mexer no piso, proteja bem para evitar riscos e manchas.

DICAS QUE SEMPRE AJUDAM
-Em muitos prédios é preciso agendar o elevador para retirada de entulhos. Verifique na sua cidade a regra para colocação de caçambas na rua. Em Londrina, é preciso autorização da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

-O drywall (placas de gesso) pode ser um aliado para facilitar sua reforma, pois permite mudança de layout do apartamento sem precisar ficar demolindo ou construindo paredes de tijolos.

-Aposte nos pisos vinílicos, que têm instalação muito fácil e não pesam, excluindo assim o risco de sobrecarga.

– Ao trocar o piso do banheiro, lembre-se que será preciso refazer a impermeabilização. Caso contrário, vai ocasionar problemas de infiltração no apartamento do andar inferior.

– No caso dos móveis planejados, a entrega dos serviços de marcenaria costuma levar em torno de 60 dias. Não deixe para chamar o marceneiro para tirar as medidas em cima da hora.

-Verifique se os móveis que comprou cabem no elevador. Algumas escadarias também têm curvas que inviabilizam a passagem de peças muito grandes.

Fonte: Folha de Londrina